Intolerância Religiosa: O que a escola tem com isso?

Home ClippingIntolerância Religiosa: O que a escola tem com isso?

Intolerância Religiosa: O que a escola tem com isso?

Entre 2011 e 2015, o Brasil registrou 697 denúncias de intolerância religiosa, segundo dados da Secretaria Especial de Direitos Humanos. No ano passado, no entanto, os casos de intolerância cresceram muito: até setembro de 2016, o Disque 100 registrou 300 denúncias de discriminação religiosa no país.

De acordo com o relatório intolerância religiosa no Brasil 2016, uma parceria entre o Centro de Articulação de Populações Marginalizadas e a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, o segmento das religiões afro-brasileiras concentra o maior número de vítimas da intolerância religiosa. Cerca de 60% das denúncias registradas foram feitas por seguidores do candomblé e da umbanda. Ainda segundo os dados do Disque 100, em 2016, 35,39% das vítimas eram negros. Os brancos corresponderam a 21,35% e os indígenas, a 0,56%. No período, não faltaram casos em que a escola foi cenário de episódios de intolerância, preconceito e até violência.

Aprovado pelo Supremo Tribunal Federal em sessão realizada na última semana, o ensino religioso nas escolas públicas pode ter natureza confessional, ou seja, as aulas podem seguir ensinamentos de uma religião específica. Para entender o papel da escola nesse cenário que o Salto para o Futuro dessa semana, 4/10, discute este tema tão importante e atual nesta edição.

Conduzido por Bárbara Pereira e Murilo Ribeiro, e com a participação dos espectadores, que enviaram centenas de perguntas através das redes sociais da TV Escola, o programa conversa com Ivanir dos Santos, babalaô e porta-voz da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, e Regina Novaes, antropóloga. Segunda Regina, a questão que está em jogo é o preconceito que vira discriminação, “ ou quando o direito do outro de se expressar é atingido”. Já para o babalaô e ativista Ivanir dos Santos, “conviver com a diferença e a discriminação é muito comum. O que temos de novo é que, nos últimos 15 anos, esse debate ganhou um outro tom: o do marketing”.

Salto para o Futuro é exibido todas as quartas-feiras, às 19h, na TV Escola, e também no Assista Agora do portal tvescola.mec.gov.br. Todos os episódios do programa estão disponíveis ainda no canal do YouTube.

Roquette Pinto